Conferências e Discursos (eBook)

Formatos disponíveis
12,99€ I
11,69€ I
-10%
COMPRAR
-10%
12,99€ I
11,69€ I
COMPRAR
I 10% DE DESCONTO IMEDIATO
I Disponibilidade Imediata
I EBOOK PARA WOOK READER

SINOPSE

Este volume reúne os trinta e quatro textos de que há registo proferidos publicamente por Albert Camus. Com exceção da reflexão sobre «a nova cultura mediterrânica», de 1937, todas estas comunicações foram realizadas no pós-guerra, resultado de solicitações que se foram multiplicando à medida que crescia a notoriedade do escritor e a vontade de ouvir o seu ponto de vista sobre as mudanças mundiais em marcha. Convicto da necessidade de «transformar o ódio em desejo de justiça», Camus depõe nos seus discursos um apelo para combater a infelicidade do mundo através de uma união fraterna entre os povos, sendo que a cada indivíduo caberá a sua parte, inclusive ao escritor. Como sublinhou: «Prefiro os homens empenhados às literaturas empenhadas. Coragem na vida e talento nas obras, já não é assim tão mau.» Este poderoso conjunto das suas palavras públicas é agora, pela primeira vez, publicado em Portugal.
Ver Mais

DETALHES DO PRODUTO

Conferências e Discursos (eBook)
ISBN: 978-989-711-140-2
Edição/reimpressão: 03-2022
Editor: Livros do Brasil
Código: 67469
Coleção: Dois Mundos
Idioma: Português
Páginas: 296
Tipo de Produto: eBook
Classificação Temática: eBooks > eBooks em Português > Literatura > Ensaios

sobre Albert Camus

Albert Camus nasceu em Mondovi, na Argélia, a 7 de novembro de 1913. Licenciado em Filosofia, participou na Resistência francesa durante a Segunda Guerra Mundial e foi então um dos fundadores do jornal de esquerda Combat. Em 1957 foi consagrado com o Prémio Nobel da Literatura pelo conjunto de uma obra que o afirmou como um dos grandes pensadores do século XX. Dos seus títulos ensaísticos destacam-se O Mito de Sísifo (1942) e O Homem Revoltado (1951); na ficção, são incontornáveis O Estrangeiro (1942), A Peste (1947) e A Queda (1956). A 4 de janeiro de 1960, Camus morreu num acidente de viação perto de Sens. Na sua mala levava inacabado o manuscrito de O Primeiro Homem, texto autobiográfico que viria a ser publicado em 1994.
Ver Mais

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK