As Verdes Colinas de África

avaliação dos leitores (2 comentários)
(2 comentários)
ISBN: 978-989-711-173-0
Edição/reimpressão: 05-2022
Editor: Livros do Brasil
Código: 77013
Coleção: Dois Mundos
ver detalhes do produto
16,60€ I
14,94€ I
-10%
PORTES
GRÁTIS
EM
STOCK
COMPRAR
-10%
PORTES
GRÁTIS
EM
STOCK
16,60€ I
14,94€ I
COMPRAR
I 10% DE DESCONTO IMEDIATO
I EM STOCK
I PORTES GRÁTIS

SINOPSE

Ao longo de cerca de dois meses, Ernest Hemingway e a sua mulher Pauline Pfeiffer viajaram pela África Oriental, participando num safari pela região do Serengueti. Publicado originalmente em 1935, As Verdes Colinas de África é o testemunho dessa aventura. Aqui, o escritor reflete sobre o fascínio da caça, o deslumbramento pela paisagem africana e o necessário respeito do homem pela beleza e glória daquele território selvagem, permanentemente acossado por um invasor estrangeiro. Entre perseguições a leões, Búfalos, rinocerontes e aos fascinantes cudos, antílopes de listas brancas que Hemingway deseja mais do que qualquer outro animal, este é o registo de uma experiência profundamente íntima, mas também um marco excecional da grande literatura de viagens.
Ver Mais

COMENTÁRIOS DOS LEITORES

Excelente
Olga Rocha | 2019-08-07
Excelente
O cheiro da Terra
António Silva | 2015-11-13
Sentir a realidade de um safari em África, sem nenhum filtro é uma experiência duma sensibilidade extrema. Aconselhado a todos os que conhecem e sobretudo aqueles que não a conhecem.

DETALHES DO PRODUTO

As Verdes Colinas de África
ISBN: 978-989-711-173-0
Edição/reimpressão: 05-2022
Editor: Livros do Brasil
Código: 77013
Coleção: Dois Mundos
Idioma: Português
Dimensões: 152 x 235 x 17 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 232
Tipo de Produto: Livro
Classificação Temática: Livros > Livros em Português > Literatura > Literatura de Viagem
Ernest Hemingway nasceu em Oak Park, no Illinois, a 21 de julho de 1899, e suicidou-se em Ketchum, no Idaho, em julho de 1961. Em 1953 ganhou o Prémio Pulitzer, com O Velho e o Mar, e em 1954 o Prémio Nobel de Literatura. Romances como O Adeus às Armas ou Por Quem os Sinos Dobram, além do já citado O Velho e o Mar, consagraram-no como um dos grandes nomes da literatura do século XX.
Ver Mais

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK