A Relíquia

A Relíquia

Eça de Queiroz
avaliação dos leitores (3 comentários)
(3 comentários)
Formatos disponíveis
8,80€I
-10%
COMPRAR
-10%
5D
8,80€I
COMPRAR
I10% DE DESCONTO EM CARTÃO
IEnvio até 5 dias

SINOPSE

Romance saído em folhetins na Gazeta de Notícias, cuja epígrafe se tornou célebre - "Sobre a nudez forte da verdade, o manto diáfano da fantasia" - por sintetizar a aliança entre realismo e imaginação, naturalismo e fantástico, patente na obra. Da intriga central - a viagem de Teodorico à Terra Santa, de onde traz, não a relíquia que prometera à tia beata, mas sim, por lapso, a camisa de dormir de uma amante - sobressai o sonho ou a viagem no tempo do protagonista, que, acompanhado pelo seu erudito amigo, Dr. Topsius, assiste à pregação, julgamento e morte de Jesus. A obra, que exalta a figura humana de Cristo, como paradigma de amor e de bondade, foi considerada herética pelos sectores mais conservadores, por questionar a divindade de Cristo.
Ver Mais

COMENTÁRIOS DOS LEITORES

A Relíquia, um livro que podia ter sido escrito hoje.
Inês Dias de Carvalho |2019-04-15
Um dos poucos livros que me faz rir e que apesar de escrito há mais de 100 anos continua atual. A história do Raposão que tenta cumprir a missão que a sua titi acha moralmente aceitável, com inevitáveis desvios e paixões que tomam conta da narrativa, num final algo inesperado e humilde. A obra mais crítica dos costumes e moral portugueses que Eça de Queirós escreveu, no seu estilo inconfundível, dos melhores que podemos ter na nossa língua!
uma comédia que vale a pena!
Luís Nuno Barbosa |2018-11-22
Um livro que, bem ao estilo de Eça de Queirós, retrata e satiriza uma sociedade conservadora e beata, com uma fantástica e inesperada comédia.

DETALHES DO PRODUTO

A Relíquia
de Eça de Queiroz
ISBN:978-989-711-008-5
Edição/reimpressão:01-2014
Editor:Livros do Brasil
Código:77035
Coleção:Obras de Eça de Queiroz
Idioma:Português
Dimensões:139 x 209 x 17 mm
Encadernação:Capa mole
Páginas:288
Tipo de Produto:Livro

sobre Eça de Queiroz

Eça de Queiroz
Eça de Queiroz nasceu a 25 de Novembro de 1845 na Póvoa de Varzim e é considerado um dos maiores romancistas de toda a literatura portuguesa, o primeiro e principal escritor realista português, renovador profundo e perspicaz da nossa prosa literária.
Entrou para o Curso de Direito em 1861, em Coimbra, onde conviveu com muitos dos futuros representantes da Geração de 70. Terminado o curso, fundou o jornal , em 1866, órgão no qual iniciou a sua experiência jornalística. Em 1871, proferiu a conferência «O Realismo como nova expressão da Arte», integrada nas Conferências do Casino Lisbonense e produto da evolução estética que o encaminha no sentido do Realismo-Naturalismo de Flaubert e Zola. No mesmo ano iniciou, com Ramalho Ortigão, a publicação de As Farpas, crónicas satíricas de inquérito à vida portuguesa.
Em 1872 iniciou a sua carreira diplomática, ao longo da qual ocupou o cargo de cônsul em Havana, Newcastle, Bristol e Paris. Foi, pois, com o distanciamento crítico que a experiência de vida no estrangeiro lhe permitiu que concebeu a maior parte da sua obra romanesca, consagrada à crítica da vida social portuguesa e de onde se destacam O Primo Bazilio, O Crime do Padre Amaro, A Relíquia e Os Maias, este último considerado a sua obra-prima. Morreu a 16 de Agosto de 1900, em Paris.
Ver Mais

DO MESMO AUTOR

As Minas de Salomão

de Eça de Queiroz

A Cidade e as Serras

de Eça de Queiroz

Os Maias

de Eça de Queiroz

Contos

de Eça de Queiroz

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK