2019-10-09

Uma máscara que tudo esconde: raiva, amor e morte

Confissões de uma máscara é um romance fundamental na obra de Yukio Mishima e chega agora à Miniatura

Partilhar:

A 17 de outubro, a Livros do Brasil publica um novo livro de Yukio Mishima, desta vez na coleção Miniatura. Confissões de uma Máscara foi o segundo livro publicado por Mishima, então com 24 anos, e consagrou-o de imediato como um dos mais importantes autores japoneses do pós-guerra.

Romance autobiográfico, poderoso e comovente, apresenta-nos a confissão de um jovem no Japão do pós-Segunda Guerra Mundial. Um jovem com uma infância solitária, que fracassa no amor com as mulheres, que obsessivamente reflete sobre a morte e sobre a beleza e que é dominado por um brutal desejo de um outro rapaz. Um jovem que, no rígido Japão imperial onde não há lugar para impulsos transgressivos, tem de usar uma máscara, sempre, a todo o custo. A tradução para português, revista para esta edição, é de António Mega Ferreira, que nos diz: «[…] e é nessa teia de ardis e discursos contraditórios (de “emoções” e “impulsos”, de “impressões” e “imagens”) que se constrói um dos mais belos livros sobre essa perigosíssima e fascinante idade de passagem da adolescência à idade adulta.»

O AUTOR

Yukio Mishima, novelista e dramaturgo, pseudónimo de Kimitake Hiraoka, nasceu em Tóquio em 1925 e suicidou-se de forma mediática, praticando o ritual japonês seppuku, a 25 de novembro de 1970, manifestando assim a sua discordância com o abandono das tradições japonesas e a aceitação acrítica de modelos consumistas ocidentais. O idealismo que enforma a sua obra e conduzirá a sua vida está enraizado no tradicionalismo militar e espiritual dos samurais, e a sua conceção da arte liga-se a um elevado culto da alma e do corpo. Mishima é um dos mais conhecidos escritores japoneses, várias vezes apontado como candidato ao Prémio Nobel da Literatura, e autor de obras inesquecíveis como Confissões de Uma Máscara (1948), O Templo Dourado (1956) ou O Marinheiro que Perdeu as Graças do Mar (1963).