2022-09-20

Uma experiência da moral e do corpo

O Acontecimento é o novo título de Annie Ernaux no catálogo da Livros do Brasil. A memória de um sofrimento íntimo, mas reflexo de uma geração, que ficou por contar durante quarenta anos.

Partilhar:

«Milhares de raparigas subiram uma escada, bateram a uma porta atrás da qual estava uma mulher acerca de quem nada sabiam, a quem iriam entregar o seu sexo e o seu ventre. E aquela mulher, a única pessoa, então, capaz de acabar com a infelicidade, abria a porta, de avental e pantufas às riscas, com um trapo na mão: “Diga lá, menina!”».

Depois de Os Anos e Uma Paixão Simples, a Livros do Brasil edita O Acontecimento, de Annie Ernaux, um relato despojado de uma situação de aborto ilegal. Escrito em 1999 e recentemente adaptado ao grande ecrã, neste livro a autora francesa coloca em palavras o que lhe pareceu ser uma experiência humana total, acerca da vida e da morte, do tempo, da moral e da interdição, da lei, uma experiência vivida de uma ponta a outra através do corpo. Uma semana depois dos acontecimentos aqui narrados, Kennedy era assassinado em Dallas. Porém, já nada podia chamar a atenção desta jovem universitária que, interiormente, se transformara numa delinquente.

 

O livro já se encontra em pré-venda e estará disponível nas livrarias a 8 de setembro.

 

«Para além de todas as razões sociais e psicológicas que eu possa encontrar para aquilo que vivi, existe uma de que tenho a certeza acima de tudo: as coisas aconteceram-me para que eu me aperceba delas. E o verdadeiro objetivo da minha vida é, provavelmente, apenas este: que o meu corpo, as minhas sensações e os meus pensamentos se transformem em escrita, isto é, em qualquer coisa de inteligível e comum – a minha existência completamente dissolvida na cabeça e na vida dos outros.»

Annie Ernaux

 

SOBRE O LIVRO

Uma jovem de 23 anos, estudante universitária brilhante, descobre que está grávida. Tomada pela vergonha, consciente de que aquela gravidez representará um falhanço social para si e para a sua família, sabe que não poderá ter aquela criança. Mas, na França de 1963, o aborto é ilegal e não existe ninguém a quem possa acorrer. Quarenta anos mais tarde, as memórias daquele acontecimento continuam presentes, num trauma impossível de ultrapassar e cujas sombras se estendem para além da história individual. Escrito com uma clareza acutilante, sem artifícios, este é um romance poderoso sobre sofrimento, justiça e a condição feminina. Escrito por Annie Ernaux em 1999, foi adaptado ao cinema em 2021 por Audrey Diwan, num filme vencedor do Leão de Ouro em Veneza.

 

SOBRE A AUTORA

Annie Ernaux nasceu em Lillebonne, na Normandia, em 1940, e estudou nas universidades de Rouen e de Bordéus, sendo formada em Letras Modernas. É atualmente uma das vozes mais importantes da literatura francesa, destacando-se por uma escrita onde se fundem a autobiografia e a sociologia, a memória e a história dos eventos recentes. Galardoada com o Prémio de Língua Francesa (2008), o Prémio Marguerite Yourcenar (2017) e o Prémio Formentor de las Letras (2019) pelo conjunto da sua obra, destacam-se os seus livros Um Lugar ao Sol (1984), vencedor do Prémio Renaudot, e Os Anos (2008), vencedor do Prémio Marguerite Duras e finalista do Prémio Man Booker Internacional.

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK