2019-04-11

Graham Greene na Livros do Brasil

Santos e Pecadores reúne ensaios do escritor britânico

Partilhar:

Além de reputado romancista, contista, autor de peças de teatro e de argumentos para filmes, Graham Greene foi também um mestre na escrita ensaística. A 18 de abril, a Livros do Brasil publica Santos e Pecadores, que reúne alguns dos seus textos mais marcantes no universo da não ficção, num volume com seleção e prefácio de Pedro Mexia.

Produzidos ao longo de cinco décadas e publicados em diferentes volumes, os ensaios que aqui se apresentam abrem uma janela sobre os temas que mais fascinaram este que foi um dos grandes autores britânicos do século XX: outros escritores e artistas, a igreja católica, figuras revolucionárias, o mundo do cinema. «Foi o tédio que me levou a escrever e a injustiça que me forneceu os temas», revela nestas páginas. «As injustiças de que me apercebo não me encolerizam; melhoram os meus poderes de observação. A distância é um dos requisitos da boa literatura.»

O autor:

Graham Greene nasceu em Berkhamsted, no leste de Inglaterra, a 2 de outubro de 1904. Formou-se em Oxford e iniciou a sua carreira jornalística ainda nos anos 20 como repórter para o jornal The Times, trabalho que o levou a viajar por diferentes partes do mundo e lhe deu inspiração para vários romances. O seu primeiro êxito literário, Oriente-Expresso, foi publicado em 1932. Seguiram-se depois obras como O Terceiro Homem (1949), O Fim da Aventura (1951), O Americano Tranquilo (1955) e O Nosso Agente em Havana (1958). Graham Greene foi também crítico de cinema, diretor literário de jornais, autor de peças de teatro, argumentos cinematográficos, livros para crianças, contos, novelas e ensaios. Faleceu na Suíça, vítima de leucemia, em 1991.

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK