Orlando

avaliação dos leitores (1 comentários)
(1 comentários)
Formatos disponíveis
8,80€ I
-10%
24H
EM
STOCK
COMPRAR
-10%
EM
STOCK
8,80€ I
COMPRAR
I 10% DE DESCONTO EM CARTÃO
I Em stock - Envio 24H

SINOPSE

Esta é a extraordinária história da vida de Orlando, jovem nascido na Inglaterra isabelina. Envolto em riquezas e mesuras, poeta e apaixonado, viaja um dia até à Turquia e acorda sem aviso num imortal corpo feminino cujo percurso acompanharemos por mais de três séculos, até à modernidade.

Obra exuberante, repleta de fantasia e de inovação, carta de amor disfarçada de biografia que a autora dedicou à artista Vita Sackville-West, Orlando chegou como uma pedrada no charco ao meio literário britânico em 1928 e conquistou a Virginia Woolf um lugar de protagonismo na história da literatura universal, fixando-a para sempre como uma das autoras centrais dos textos feministas e da reflexão sobre a sexualidade.
Ver Mais

COMENTÁRIOS DOS LEITORES

Um homem acorda transformado em mulher
Ana Gonçalves | 2020-01-08
Virginia Woolf cria uma personagem de uma complexidade apaixonante naquele que é, seguramente, um dos maiores estudos sobre as questões de género.

DETALHES DO PRODUTO

Orlando
ISBN: 978-972-38-2901-3
Edição/reimpressão: 02-2019
Editor: Livros do Brasil
Código: 77458
Coleção: Miniatura
Idioma: Português
Dimensões: 120 x 180 x 18 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 264
Tipo de Produto: Livro
Virginia Woolf nasceu em Londres a 25 de janeiro de 1882, filha de Sir Leslie Stephen, escritor e historiador ilustre da Inglaterra vitoriana. Desde cedo ligada a grupos de intelectuais, casou em 1912 com Leonard Woolf e com ele fundou a editora Hogarth Press, responsável pela revelação de autores como Katherine Mansfield e T. S. Eliot e pela publicação das suas próprias obras. Reconhecida como uma das mais proeminentes figuras do modernismo britânico, destacam-se entre os seus trabalhos os romances Mrs Dalloway (1925), Orlando (1928) e As Ondas (1931), assim como o ensaio Um Quarto que Seja Seu (1929). Após sucessivas crises depressivas e não suportando o isolamento provocado pelo agravar da Segunda Guerra Mundial, suicida-se a 28 de março de 1941, em Lewes.
Ver Mais

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK