2018-01-03

Dorothy L. Sayers, dama do policial britânico, de volta à coleção Vampiro

O novo ano arranca com a publicação de O Gato de Diamantes, um dos primeiros policiais da autora.

Partilhar:

As tramas policiais de Dorothy L. Sayers marcaram a história da literatura policial da primeira metade do século XX. Com O Gato de Diamantes, que chega às livrarias a 4 de janeiro, a autora regressa à coleção Vampiro da Livros do Brasil.

Nesta que foi uma das primeiras histórias escritas por Dorothy L. Sayers, em 1926, e que a confirmaria como uma das mais importantes autoras do género, muitos são os que têm algo a esconder e talvez nem todos os segredos estejam relacionados com o mistério de uma morte que tem lugar em Riddlesdale Lodge. A pacata e pequena aldeia britânica aparentava ser o local perfeito para Gerald Wimsey, duque de Denver, reunir os amigos num retiro de caça. Mas cedo a pacatez se quebrou e a caça se revelou humana: Denis Cathcart, em vias de se tornar cunhado de Wimsey, terá sido baleado, arrastado até à estufa anexa à habitação e abandonado sobre saibro e lama vestindo ainda o fato que usara ao jantar. Às três da manhã, Gerard Wimsey é encontrado junto ao corpo sem vida e, pouco depois, acusado do crime. Lord Peter Wimsey, detetive amador e irmão do duque de Denver, não tarda a chegar a Riddlesdale decidido a tudo fazer para o tirar da prisão.

A AUTORA

Dorothy L. Sayers nasceu em Oxford, no Reino Unido, a 13 de julho de 1893. Foi uma das primeiras mulheres a licenciar-se pela Universidade de Oxford, em 1915, e em 1921 ingressou numa agência de publicidade, onde foi copywriter durante quase uma década. O seu interesse pela literatura de mistério iniciou-se por esta altura, tendo publicado Whose Body? , o seu primeiro romance policial, em 1923, desde logo protagonizado por Lord Peter Wimsey, detetive amador aristocrata que se tornou um dos mais famosos heróis do policial em todo o mundo. A aclamação, quer pela crítica quer pelos leitores, foi imediata, e ao longo de quase vinte anos Sayers publicou onze romances e cinco coletâneas de contos centrados nesta personagem. Em 1930, juntamente com autores como Agatha Christie, Anthony Berkeley ou G. K. Chesterton, fundou o Detection Club, clube de escritores de histórias policiais que ainda hoje se mantém. Considerada uma das maiores autoras da literatura policial do século XX, Sayers foi também professora, poeta, ensaísta, dramaturga e tradutora. Faleceu a 17 de dezembro de 1957.

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK