2020-03-10

Kapuscinski relata as suas Andanças com Heródoto

Livros do Brasil expande coleção Dois Mundos – Não Ficção com esta obra incontornável, assinada por um dos grandes mestres do jornalismo moderno.

Partilhar:

Recém-licenciado, a trabalhar para uma agência de notícias polaca e com um desejo inquieto de conhecer os povos além-fronteiras, Ryszard Kapuscinski pede para partir em reportagem. O jovem jornalista leva consigo, durante vários anos, um exemplar oferecido pela sua redatora-chefe das Histórias de Heródoto, o historiador grego que vivera 2500 anos antes de si. «Era um volume de várias centenas de páginas. Os livros assim tão grossos têm um ar promissor e são como um convite a uma mesa bem posta», confessa o relator nas páginas inaugurais desta espécie de diário.

 

É embalado pelas reflexões deste autor clássico que Kapuscinski atravessa a Índia, a China, a Ásia Menor e África: tão longe foram as suas Andanças com Heródoto. Nestas páginas, ele tenta perceber não só o rumo da História recente, como compreender os hábitos e costumes do "outro". Uma viagem que, certamente, ainda hoje obriga a refletir sobre as diferenças entre cada um de nós, mas que demonstra, afinal, que habitamos o mesmo planeta e que, como nota de esperança, é possível respeitar todas as fronteiras que nos separam.

 

O livro estará disponível nas livrarias a 12 de março.

 

Sobre o autor

 

Ryszard Kapuscinski nasceu a 4 de março de 1932, na cidade polaca de Pinsk, hoje situada na Bielorrússia. Estudou História na Universidade de Varsóvia e, em 1955, começou a trabalhar como jornalista, escrevendo reportagens sobre a reconstrução da Polónia. Ainda nos anos 50, foi pela primeira vez enviado como correspondente para a Ásia (Índia, Paquistão, Afeganistão) e para o Médio Oriente. Mais tarde, passou longos anos como correspondente em África e na América Latina. Considerado um dos grandes mestres do jornalismo moderno, Kapuscinski foi eleito em 1999 o melhor jornalista polaco do século XX e distinguido, em 2003, com o Prémio Príncipe das Astúrias de Comunicação e Humanidades. Faleceu a 23 de janeiro de 2007.

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK