2017-05-10

O notável livro em prosa do poeta

O Quarto Enorme estava até agora inédito em Portugal. Para Hemingway, trata-se de uma leitura fundamental para qualquer jovem escritor.

Partilhar:

O Quarto Enorme é uma das grandes obras literárias norte-americanas que emergiram da Primeira Guerra Mundial e o mais notável trabalho em prosa elaborado por E. E. Cummings. Voluntário em França como condutor de ambulâncias, Cummings foi preso durante três meses, em 1917, acusado de traição, e é sobre isso que escreve neste livro que a Livros do Brasil publica a 11 de maio, numa edição ilustrada com os desenhos feitos por Cummings durante a sua prisão e editado de acordo com os critérios estabelecidos pelo autor.


História de sofrimento e injustiça contada com um humor desarmante e com a exuberância linguística característica deste que é considerado um dos mais importantes poetas norte-americanos do século xx, O Quarto Enorme é a expressão de um espírito irreprimível perante a brutalidade da guerra. «De todos os trabalhos realizados por jovens surgidos desde 1920, apenas um livro sobrevive – O Quarto Enorme, de E. E. Cummings», assinalou F. Scott Fitzgerald.

SOBRE O AUTOR

Edward Estling Cummings nasceu a 14 de outubro de 1894 em Cambridge, Massachusetts. Foi poeta, artista plástico, ensaísta e dramaturgo, sendo considerado um dos principais poetas modernistas da língua inglesa. Formado na Universidade de Harvard em 1916, seguiu no ano seguinte para França, servindo na Primeira Guerra Mundial como condutor de ambulâncias. Acusado de traição, foi preso durante três meses e dessa experiência nasceu a sua primeira obra publicada, O Quarto Enorme (1922). Um vanguardista no uso da linguagem, lançaria ao longo da vida mais de duas dezenas de títulos, de que se destacam os livros de poesia Tulips and Chimneys (1923) e XLI Poems and & (1925), a peça Him (1927) e o volume de ensaios i:six nonlectures (1953, traduzido em Portugal com o título eu:seis inconferências). Recebeu, entre outras distinções, o Prémio Bollingen de Poesia em 1958. Faleceu a 3 de setembro de 1962.

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK