2022-01-24

O Diário de Anne Frank celebra 75 anos

Livros do Brasil publica edição aumentada da versão definitiva deste testemunho notável dos horrores da guerra, agora com novo prefácio, cronologia, glossário e biografias

Partilhar:

«Espero poder confiar-te tudo como nunca pude confiar em ninguém, e espero que venhas a ser uma grande fonte de conforto e apoio», lê-se na primeira entrada do célebre O Diário de Anne Frank, datada de 12 de junho de 1942, dia do décimo terceiro aniversário da sua jovem autora. Hoje, 75 anos volvidos da primeira publicação, a Livros do Brasil marca o arranque das celebrações de tão simbólica efeméride disponibilizando no mercado uma edição com novos textos complementares.

Através destes documentos, os leitores têm a oportunidade de saber mais sobre o destino das pessoas que, com a adolescente autora, partilharam o cativeiro doméstico, e de conhecer melhor as circunstâncias em torno da edição póstuma do diário, entre outros detalhes históricos.

 

O livro já se encontra em pré-venda e estará disponível nas livrarias a 27 de janeiro.

 

SOBRE O LIVRO

Escrito entre 12 de junho de 1942 e 1 de agosto de 1944, O Diário de Anne Frank foi publicado pela primeira vez em 1947, por iniciativa de seu pai, revelando ao mundo o dia a dia de dois longos anos de uma adolescente forçada a esconder-se, juntamente com a sua família e um grupo de outros judeus, durante a ocupação nazi da cidade de Amesterdão. Todos os que se encontravam naquele pequeno anexo secreto acabaram por ser presos em agosto de 1944, e em março de 1945 Anne Frank morreu no campo de concentração de Bergen-Belsen, a escassos dois meses do final da guerra na Europa. O seu diário tornar-se-ia um dos livros de não-ficção mais lidos em todo o mundo, testemunho incomparável do terror da guerra e do fulgor do espírito humano. É uma das leituras recomendadas no âmbito das Aprendizagens Essenciais Curriculares da disciplina de Português do 8.º ano de escolaridade.

 

SOBRE A AUTORA

Anne Frank nasceu a 12 de junho de 1929 em Frankfurt, na Alemanha, no seio de uma família judaica. Em 1933, após a tomada de poder pelos nazis, os seus pais decidiram partir para Amesterdão, na Holanda, país que tinha fama de bem acolher as minorias religiosas. Em 1940, porém, os alemães invadem este território e iniciam uma forte perseguição aos judeus, reencaminhando-os para "campos de trabalho". Depois de dois anos de reclusão num anexo ao antigo escritório do pai, Anne Frank é detida em agosto de 1944. Viria a morrer de tifo no campo de concentração de Bergen-Belsen em março de 1945. O diário que escreveu durante este período tornou-se uma das obras de não ficção mais lidas em todo o mundo.

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK