2024-01-18

As histórias de sonho de Steinbeck

Livros do Brasil publica Os Feitos do Rei Artur e dos Seus Nobres Cavaleiros, romance inédito em Portugal do autor Prémio Nobel da Literatura 1962

Partilhar:

«Eu queria há muito verter para a língua atual as aventuras do rei Artur e dos cavaleiros da Távola Redonda. Estas histórias estão vivas mesmo naqueles de nós que as não leram.» Celebrando a ambição de John Steinbeck, a coleção Dois Mundos dá a conhecer Os Feitos do Rei Artur e dos Seus Nobres Cavaleiros.

«Estas são histórias de sonho, sonhos imutáveis e universais, e têm a inconsistência dos sonhos. Muito bem, digo eu. Se são sonhos, porei lá alguns dos meus; e assim fiz», explica o autor na Introdução do livro. A presente edição inclui a troca de correspondência entre Steinbeck e os seus editores ao longo dos anos em que trabalhou neste livro, que deixaria inacabado.

 

O livro já se encontra em pré-venda e estará disponível nas livrarias a 25 de janeiro.

 

SOBRE O LIVRO

Desde a infância, John Steinbeck viveu fascinado com a história do rei Artur e dos cavaleiros da Távola Redonda. Em 1956, começou a escrever a sua própria versão daquelas aventuras, com a intenção de atrair novos leitores para o mundo maravilhoso fundado por Sir Thomas Malory no seu A Morte de Artur. Foi um projeto que o terá acompanhado até ao fim dos seus dias, datando de 1965 a última comunicação com os seus editores sobre este livro, que então considerou «estranho e diferente». O texto que agora damos, pela primeira vez, a ler em Portugal seria publicado apenas postumamente, em 1976. Apesar de se tratar de uma obra inacabada, Os Feitos do Rei Artur e dos Seus Nobres Cavaleiros é inegavelmente uma história apaixonada, cheia de diversão e entusiasmo pelo imaginário de um mundo de heróis e malfeitores, espadas e cavalos, amor e lealdade que continua a fazer sonhar.

 

SOBRE O AUTOR

John Steinbeck nasceu em Salinas, na Califórnia, em 1902, numa família de parcos haveres. Chegou a frequentar a Universidade de Stanford, sem concluir nenhuma licenciatura. Em 1925 foi para Nova Iorque, onde tentou uma carreira de escritor, cedo regressando à Califórnia sem ter obtido qualquer sucesso. Alcançou o seu primeiro êxito em 1935, com O Milagre de São Francisco (Tortilla Flat na edição original), confirmado depois, em 1937, com a novela Ratos e Homens. A sua ficção está marcada por uma imensa preocupação com os problemas dos trabalhadores rurais e também por um grande fascínio para com a terra. Em 1939, publicaria aquela que, por muitos, é considerada a sua obra-prima, As Vinhas da Ira. Entre os seus livros, destacam-se ainda os romances A Leste do Paraíso (1952) e O Inverno do Nosso Descontentamento (1961), bem como Viagens com o Charley (1962), em que relata uma viagem de três meses por 40 estados norte-americanos. Recebeu o Prémio Nobel da Literatura em 1962. Faleceu em Nova Iorque, a 20 de dezembro de 1968.